logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Governo triplica o repasse para municípios que usam unidades avançadas do Samu

samu avancada

 Governo do RS triplicou o repasse para os municípios que mantêm  USA (unidades de suporte avançado do Samu), também chamadas de UTI móveis, e para aqueles que prentendem implementá-lo. O valor da contrapartida do Estado, que antes era de R$ 32,3 mil, passa para R$ 90 mil por mês. "A iniciativa reforça o compromisso técnico e financeiro da Secretaria Estadual de Saúde com o desenvolvimento das ações e dos serviços municipais de saúde", afirma o titular da pasta, Ciro Simoni.

Desde o final de 2010, este é o segundo incremento do valor do repasse às USA, que havia sido reajustado em 2011 em 81%, passando, à época, de R$ 17,7 mil para R$ 32,3 mil. "Isso significa que o valor praticado hoje é cinco vezes o valor que era disponibilizado em 2010", frisa o coordenador estadual do Samu, Maicon de Paula Vargas. 

Para receber o recurso reajustado, é preciso comprovar através do sistema do Samu a efetividade mensal das equipes, garantindo assistência à população. "Acreditamos que, ao assumir a responsabilidade no financiamento, ampliando recursos, estamos estimulando os municípios que ainda não dispõem de unidades de suporte avançado a implantar equipes e habilitar novas ambulâncias", destaca Maicon. Hoje, o Estado conta com 33 unidades de suporte avançado em funcionamento. 

As unidades de suporte avançado (USA), diferenciam-se das unidades de suporte básico (USB) quanto à estrutura e à composição das equipes.

Enquanto as básicas têm equipe composta por técnico de enfermagem e condutor e equipamentos para oxigenação, imobilização e ressuscitador, as UTIs móveis são equipadas também com equipamentos e medicamentos de cuidados intensivos, como respirador e desfibrilador, e contam sempre com condutor, médico e enfermeiro na equipe. 


Recursos inéditos 

O coordenador do Samu ressalta que o reajuste dos valores para as unidades acompanha o incremento dos repasses de custeio dos hospitais que são porta de entrada para pacientes do serviço em todo o Estado. "Em 2010, os repasses do Governo do Estado para as bases somaram R$ 11,8 milhões. Esse valor subiu para R$ 16 milhões, em 2011, chegou a R$ 36,5 milhões em 2012 e, neste ano, vai alcançar R$ 62 milhões, um montante jamais visto até então para o Samu no Rio Grande do Sul", informa Maicon. 

Além dos repasses para custeio das ambulâncias, a SES também vai investir cerca de R$ 23 milhões em 2013 para a aquisição de duas aeronaves para transporte, resgate, busca e salvamento, para atuar em uma parceria entre o Samu e a Brigada Militar. 

Ampliação da cobertura 

De 2011 para cá, o Estado do Rio Grande do Sul aumentou o número de bases implantadas do Samu, ampliando a cobertura da população atendida pelas centrais de regulação. Ao final de 2010, havia 85 municípios gaúchos com base do serviço, o que representava 68% de cobertura da população. 

Maicon comenta o avanço: "Hoje, já chegamos a 158 municípios com base, o que dá uma cobertura de aproximadamente 90% da população. Isso significa que, nos últimos dois anos e oito meses, mais de dois milhões de gaúchos que não eram assistidos pelo Samu passaram a contar com o serviço de urgência e emergência a partir da ligação ao 192". O coordenador destaca ainda que, até o final de 2013, o Estado vai implantar outras 23 novas bases do Samu. 

O avanço em números 

Dezembro de 2010: 85 bases (68% de cobertura da população) 
Agosto de 2013: 158 bases (89,6% de cobertura da população) 


Repasses para bases 
2010: R$ 11,8 milhões 

2011: R$ 16 milhões 

2012: R$ 36,5 milhões 

Até junho de 2013: R$ 25,7 milhões (previsto para o ano: R$ 62 milhões) 

 

FONTE: GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL