logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Chapadense Dione está em intercâmbio na Alemanha

 

Dione

 

No dia 30 de julho de 2013, o chapadense de origem italiana Dione Richer Momolli de 20 anos, estudante do curso de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Santa Maria saiu de Chapada, rumo a Frankfurt, na Alemanha, através de um intercâmbio, oferecido pelo Programa Ciência Sem Fronteiras do Governo Federal.

Na última semana a equipe do Jornal ABCNotícias entrou em contato com Dione através do facebook, uma das maneiras com que ele faz contato com a família e amigos, buscando saber como está sendo sua estadia na Alemanha, sendo que nos próximos dias já terão se passado dois meses desde a sua chegada na Europa.

Segundo Dione, estudar na Alemanha está sendo uma experiência incrível. “Estou impressionado com a capacidade de organização da mesma. Estou aprendendo muito, não apenas a cultura alemã, mas também conhecendo melhor a nossa própria cultura, convivendo todos os dias com brasileiros de outras regiões”, falou.

 

ddione

 

Perguntado sobre as diferenças existentes nos dois Países, Dione falou: “Comparando as grandes cidades brasileiras, as ruas são muito bem cuidadas, o mesmo visto em Chapada, que foi colonizada por alemães. Pode-se notar diferenças expressivas no que diz respeito à infraestrutura, algo esperado para um País de primeiro mundo. Transporte: as taxas para o transporte são adquiridas mensalmente e você circula a vontade por toda a cidade, quantas vezes quiser. Trem e metrô são as opções mais rápidas e fáceis de se locomover. Segurança: a Alemanha assim como em qualquer outro pais da Europa é muito comum encontrar pessoas caminhando tranquilamente de madrugada sem correr risco algum, praticamente não existem casos de roubo e assassinatos. Educação: quase toda a população possui um segundo idioma, no caso o inglês, isso facilita a vida de turistas e estrangeiros. As aulas, principalmente nas universidades são de alto nível e ministradas com excelentes métodos de ensino. Cultura: as músicas, sabores, paisagens, arquitetura, tudo é muito distante da realidade brasileira”, disse.

Sobre a cultura alemã, Dione disse que é um povo muito alegre “Ao contrário do que muito se dizia daqui, os alemães são bastante receptivos e estão a disposição para ajudar no que precisar. É um povo respeitado pela cultura, muito bem vista pelo mundo todo, são reconhecidos pela pontualidade, responsabilidade e principalmente planejamento e organização”, comentou Dione.

Falando em adaptação, ele disse que as dificuldades maiores ficaram para a primeira semana de estadia. A dificuldade de comunicação tornava uma simples tarefa de ir ao supermercado algo bastante desafiador. Pedir informações turísticas ou mesmo de localização eram bastante difíceis, hoje, com o avançar do curso que realiza, essas tarefas já não se tornam mais problemas, no entanto, segundo ele, dois meses de curso é insuficiente ainda para se dominar um idioma.

 

dion

 

Atualmente, Dione está realizando um curso intensivo de alemão (Deutsche- Kurs), com duração de 7 meses, até 28 de fevereiro de 2014. Sendo que até a quarta-feira, 25/9, era o prazo de inscrição em uma universidade alemã que oferece o curso de Engenharia Florestal ou similar. “A partir do momento que receber o convite para estudar na universidade terei mais um ano de bolsa de estudos contando a partir de março de 2014, dando assim, continuidade ao curso de Engenharia Florestal que iniciei no Brasil”, falou.

Questionado sobre o que faz nas horas livres, Dione disse: “Há muitos lugares históricos aqui na Europa, boa parte da história se passou aqui, há diversos monumentos, castelos magníficos, e paisagens de tirar o fôlego. Viajar e a melhoropção, além disso nosso curso de línguas oferece viagens por valores inferiores a estudantes”.

Dione contou que já pôde fazer várias amizades. “Aqui onde estou alojado ganhamos apartamentos mobiliados individuais, estamos ocupando dois prédios com cerca de 45 brasileiros, vindos de diversas partes do Brasil, a grande maioria acadêmicos de todos os cursos de engenharia. Também temos contato com os próprios moradores alemães, onde estamos iniciando pequenos diálogos”, disse.

Ao final da entrevista, que pôde ser realizada via e-mail, Dione colocou como consideração final uma das expressões que já aprendeu em seu curso, Auf wiedersehen, que em português significa ‘Tchau’.

 

FONTE: REDAÇÃO ABCNotícias