logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Seguridade aprova semana de prevenção ao câncer bucal

boca

A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados aprovou projeto que cria a Semana Nacional de Prevenção do Câncer Bucal (PL 3939/12). O evento será celebrado todos os anos na primeira semana de novembro.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), em 2012 ocorreram 14.170 casos novos, sendo 9.990 em homens e em 4.180 mulheres. O relator da matéria, deputado Lael Varella (DEM-MG), ressalta que é um número crescente e com alto índice de letalidade, “visto que dados de 2010, apontam 4.891 mortes, 3.882 de homens e 1.009 de mulheres”.

Varella acrescenta que é um grave problema de saúde pública, que poderia ser evitado, em grande parte, com estímulos para se evitar o fumo e o álcool, com iniciativas de promover a higiene bucal, cuidar dos dentes e fazer uma consulta odontológica de controle a cada ano. “Outra recomendação que o Inca faz é ter uma dieta saudável, rica em vegetais e frutas. Para os casos de câncer de lábio, deve-se evitar a exposição ao sol sem proteção.”

Auto-exame

O presidente da Frente Parlamentar da Saúde, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), que também é médico, alerta que o câncer de boca é um dos cinco tipos mais comuns da doença. "De repente, uma feridinha na boca, que a pessoa não dá bola, cicatriza, volta de novo. De repente, uma lesão lá no fundo, quase entrando na garganta, a pessoa não sabe, acha que é normal. Nós falamos muito em câncer de próstata, de mama, de intestino, de pele, que mata muito, e nos esquecemos, não falamos de câncer de boca."

O dentista Wesley Borba, da diretoria-executiva da Associação Brasileira de Odontologia, fala da importância de conscientizar as pessoas sobre a prevenção do câncer de boca. Ele explica ainda como se faz o auto-exame. "Qualquer coisa que foge à normalidade deve ser pesquisada. O paciente, em frente a um espelho, deve examinar bochechas, lábios e língua. Colocar a língua para fora, puxa para um lado, para outro, verificar se tem manchas brancas ou escuras, verificar se há feridas que não cicatrizam. Qualquer ferida que passe de 7 a 21 dias e não houve cicatrização, deve ser pesquisada. O paciente deve procurar o cirurgião dentista para que ele faça uma avaliação sobre a necessidade de um tratamento mais radical, de remover essa lesão."

Wesley Borba disse que o fumo e o uso frequente de álcool, além de fatores genéticos, são as principais causas do câncer bucal, que atinge 10 mil homens e 3 mil mulheres, em média, no Brasil.

O projeto que cria a semana de prevenção à doença estabelece também o estímulo a ações preventivas e campanhas educativas; a promoção de debates sobre o tema e a difusão dos avanços técnico-científicos relacionados ao câncer bucal.

FONTE: SIS SAÚDE