logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Notícias &... por Mariane Gutheil

 

textossite

 

Como foi rápido?

Ser criança, para muitos pode ser apenas uma fase, já para outros um grande espetáculo, uma época inesquecível, com eternos momentos que ao acontecer não sabemos o seu significado, porém com o passar do tempo, a chegada da maturidade, todos esses acontecimentos nos trazem inúmeras lembranças e significados.

O tempo em que éramos felizes e não sabíamos, tudo o que tínhamos a fazer era brincar, ser curioso, desfrutar o desconhecido e deixar os adultos de cabelos em pé com nossas maluquices.

Na minha época não tínhamos acesso a brinquedos modernos, ao computador e celular poucas pessoas tinham. Nossas brincadeiras preferidas eram as mais radicais possíveis, como: rolar-se nas valetas, trepar em árvores, brincar de pega-pega nas lavouras de azevém, fazer rally de bicicleta e de casca de coqueiro que deslizavam nos belos gramados.

Na escola fazíamos as mais diversas brincadeiras ao ar livre, ao contrário do que acontece atualmente, desfrutávamos muito do pátio da escola, brincando de esconde-esconde, diabo rengo, letz, e quem nunca brincou de ovo choco ou bobinho? Era tão divertido, mas sempre que entrava na roda eu já era a bobinha e demorava muito tempo até sair da roda.

O nosso aprendizado era muito diferente, eu tinha apenas dois colegas que estudavam na mesma série, porém, estudávamos em uma sala com outra série, e com a mesma professora. E com este grande obstáculo ainda aprendíamos tudo o que a professora nos passava.

Já na primeira série sabíamos ler e escrever, fazíamos contas e claro, adorávamos rabiscar e desenhar. Estudei no interior até a 4ª série, quando tive que me adaptar a estudar na cidade na Escola Érico Veríssimo, foi difícil no início, mas com o tempo me adaptei. E o que falar então dos dias de chuva em que podíamos nos molhar a vontade, correr nas valetas e fazer guerra de barro, pois é o que eu e meus primos adorávamos fazer aos domingos em que visitávamos a nossa avó. As nossas mães não gostavam muito, mas nós adorávamos.

Brincávamos de ser adultos! Quem nunca, quando criança, vestiu o calçado ou alguma peça de roupa de seus pais? Escondidos procurávamos as melhores peças e nos divertíamos muito, porém quando alguém nos via imediatamente a vergonha tomava conta e corríamos para o quarto nos desfazer das coisas alheias. Como toda criança, queríamos logo ser adultos para poder fazer todas as coisas.

Não víamos o tempo passar, não nos preocupávamos com absolutamente nada, tudo o que fazíamos podia estar certo ou errado que para nós não teria sentido algum, sempre tinha quem nos corrigisse. Não dávamos bola para o que os outros pensavam somente queríamos nos divertir.

E foi assim. E hoje já não é mais, nos resta lembrar de como era divertido e emocionante. Com a vida adulta, percebe- se que a mudança é definitiva e super impactante, mexe com a nossa vida inteira do dia à noite. Agora temos uma rotina, passou o tempo de brincar sem se preocupar com compromissos ou decisões a tomar.

Rotina, maldita rotina que mexe com a nossa vida, é compromisso aqui, compromisso ali. Ao ser adulto nos tornamos mais individuais e passamos a buscar a independência através do estudo e do trabalho.

Se quando criança soubéssemos como seria a vida adulta com certeza aproveitaríamos muito mais do que a aproveitamos. Nos sujaríamos muito mais e deixaríamos muitos fios de cabelo ainda mais brancos. Oh, se o tempo voltasse atrás... Mas não volta e o que nos resta então é aproveitar da melhor maneira possível a fase em que vivemos.

Desfrutar dos pequenos momentos que nos trazem alegria, fazer o que gostamos e estar ao lado de quem mais gostamos, dar o nosso máximo para atingir bons resultados e conquistar os nossos objetivos.

 

TEXTO PUBLICADO NO JORNAL ABCNOTÍCIAS DE 18 DE OUTUBRO DE 2013