logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Artistas escondidos, por Claudir Pressi

textossite

 

O ser humano está sedento de alegria, de arte. De algo que modifique e anime seu dia a dia, ainda mais diante das grandes mudanças que se apresentam nestes tempos modernos. Existe no ser humano um profundo anseio de entrar em cena e buscar algo que o represente tanto nas histórias vividas, como também, nas mais diversas realidades de sua existência pessoal e social. Esta necessidade é caminho que indica cultura, muito embora, esta sede pode não traduzir o significado do que realmente ela caracteriza.

Sem distinguirmos criteriosamente tudo o que se faz e se apresenta nos meios de comunicação sociais, em eventos, shows e nas mais diversas programações desenvolvidas em diferentes âmbitos da sociedade atual, poderemos esvaziar o significado e o conceito de cultura. Um dos exemplos mais evidentes deste debate é o tal de BBB.

De qualquer modo o mais importante aqui, é dizer que o ser humano necessita de intensa vibração, entusiasmo, energia e força para levar adiante sua história. A busca de algum gesto, movimento, sinal ou imagem que o coloque no palco da vida, independente do momento em que esteja passando por ela, expressa uma necessidade nata. Trata-se de uma auto representação do cotidiano existencial ao qual o indivíduo está inserido.

A arte possui poder. A música, por exemplo, nos faz manifestar uma diversidade de sentimentos, desejos, sensações, realidades, sonhos... E quanto mais próxima da alma, do nosso coração, mais poderosa ela se torna. No entanto, arte e cultura são mais que cenas, imagens e todo um aparato de recursos cenográficos utilizados numa ação artística, muitas vezes, com vistas a alcançar ibope. Arte envolve um processo exercido sobre cada pessoa, grupo e população. Por isso a arte como representação cultural nos coloca em contato com o inusitado, o surpreendente, o contraditório, o exagerado, o improvável e o misterioso traduzindo com maior significado as manifestações que tanto o ser humano almeja. É o artista que quer sair do anonimato e apresentar-se ao público porque precisa atender o desejo de atuar, interagir, revelar as capacidades e sua forma de interpretar o mundo.

Acredito que um dos maiores investimentos que as pessoas precisam fazer é em cultura. Da mesma forma o poder público se quiser garantir desenvolvimento e se firmar como instrumento de socialização e primazia da qualidade de vida de seu povo necessita criar condições e disponibilizar recursos para as gerações atuais e futuras manter-se em seu legado cultural, de suas raízes, de sua identidade. Todo o investimento para desenvolver culturalmente o povo diminui sequelas e mazelas sociais e sustenta a integridade e a decência do ser humano.

Aproveito este espaço para deixar meu abraço ao Grupo Simpatia de Comunicação, pela oportunidade de fazer parte da força da comunicação. Mesmo que o período tenha sido breve, ficará para sempre a presença e a participação e o sentimento de que foi especial.

Muito obrigado a todos por permitir a concretização do meu novo projeto de vida!

 

PUBLICADO NO JORNAL ABCNOTÍCIAS DE 24 DE JANEIRO DE 2014