logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Hospital São Vicente de Paulo registra aumento de acidentes com animais peçonhentos

lupapeconha

 

O clima quente e úmido do verão propicia o aumento dos casos de acidentes com animais peçonhentos, tanto na zona rural como na urbana. Diante deste fato, o Núcleo de Vigilância Epidemiológica do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, constatou que nos últimos três anos, durante os meses mais quentes, houve um aumento no número de casos de acidentes com animais peçonhentos. Em função disso, o HSVP alerta para o cuidado e a prevenção desses acidentes.

Segundo a enfermeira do Núcleo de Vigilância Epidemiológica, Daiane Trentin, os casos notificados no HSVP são por contato com abelhas, aranhas, escorpiões, taturanas (lonomias) e serpentes. Ela ressalta que os meses quentes e úmidos favorecem o aumento dos riscos de contato com animais peçonhentos e por consequência os acidentes. “A vítima de acidente com animal peçonhento deve ser levada ao serviço de saúde rapidamente, pois quanto mais precoce o atendimento, mais eficaz será o tratamento.

Até a chegada do socorro a vítima deve manter-se sentada ou deitada para não favorecer a circulação do veneno. E também deve lavar o local da picada com água e sabão”, orienta a enfermeira. É importante identificar o tipo de animal que ocasionou o acidente. Se for possível e com os cuidados necessários e segurança capturar o animal e levar junto ao atendimento. “Nos primeiros socorros da vítima nunca deve-se amarrar o local da picada, este procedimento pode impedir a circulação, podendo causar necrose. Não deve-se cortar o local da ferida, nem aplicar folhas, pó de café ou terra sobre a ferida e, muito menos dar bebidas alcoólicas ou fumo para a vítima”, salienta.

Contudo, algumas medidas podem ser tomadas para evitar o acidente com animais peçonhentos. Usar botas de borracha ou botinhas ao andar em campo ou mata, manter jardins, quintais e terrenos baldios limpos, evitar o acúmulo de lixo, rebocar paredes para que não apresentem rachaduras ou frestas e colocar telas nas janelas são algumas dicas para prevenir os acidentes.

“Em alguns casos, quando a vítima não procura atendimento, os acidentes podem se tornar graves, com risco de morte. Por isso é importante o cuidado e a prevenção contra esses acidentes, que deve ser redobrada nas épocas de calor intenso”, conclui Daiane.

Caso encontre algum animal e não saiba identificá-lo se peçonhento ou não, procure auxílio junto à prefeitura de sua cidade ou entre em contato com o Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul, que atende 24 horas, através do telefone de discagem gratuita 0800-721-3000.

 

FONTE: REDAÇÃO ABCNOTÍCIAS

 

peconhentos