logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Secretaria da Saúde revisa protocolo para distribuição de protetor solar

PROTETOR copia

 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) revisará o protocolo que regulamenta o fornecimento de protetores solares para pessoas submetidas à exposição solar. O objetivo da análise é universalizar o acesso e identificar grupos prioritários que estejam em situação de risco para o desenvolvimento de câncer de pele, garantindo a continuidade e qualificação das ações de prevenção e combate ao câncer, já desenvolvidas pelo Estado.

O programa Saúde na Pele viabiliza o acesso a protetores solares, item que compõe a cesta básica de cuidados e prevenção do câncer de pele. Entretanto, a ação terá que ser adequada à legislação eleitoral que regula as atividades no período anterior às eleições e faz restrições à distribuição de produtos dirigidos a grupos específicos.

Desta forma, para garantir a continuidade do programa, a normatização que define o acesso aos protetores será revista e não há previsão para o início da distribuição.

 

Saúde na Pele

O programa Saúde na Pele é resultado da Lei estadual nº 13.469, regulamentada em novembro de 2013, que dispõe sobre a prevenção e combate às doenças associadas à exposição solar de trabalhadores rurais, pescadores e aquicultores.

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o Rio Grande do Sul possui a maior incidência de câncer de pele no Brasil, com 6.38 novos casos de melanoma para cada 100 mil habitantes por ano. Em 2012, foram registrados 199 óbitos por este tipo de câncer no Estado.

Além da distribuição dos protetores, a SES realizará ações educativas sobre as medidas e os cuidados para proteção à exposição solar, bem como divulgará material ao corpo médico do SUS para auxiliar na identificação de sinais característicos de câncer da pele.

O filtro solar protege a pele contra o sol, mas não deve ser usado apenas em dias ensolarados, seu uso é indicado mesmo em dias frios, nublados ou chuvosos. Deve ser aplicado diariamente não só no rosto, mas em todas as áreas expostas do corpo, como mãos e braços, por exemplo.

 

FONTE: GOVERNO RS