logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Cassiane Bender, em Notícias &...

textossite

 

Baseada em todos os fatos que ocorreram nas últimas semanas, não há como não falar sobre a morte de tantos jovens. O luto paira no ar, não apenas no Rio Grande do Sul onde dois fatos cruéis ocorreram no mês de abril. Primeiro, no dia 12, foi encontrado em Palmeira das Missões, próximo a Escola Agrícola Celeste Gobbato um carro totalmente incendiado, e dentro, um corpo já sem vida. Kimberly Ruana Ruckert era a menina que estava dentro do carro, digo menina, porque ela tinha apenas 22 anos. Uma ‘menina’ cheia de sonhos, que tinha família, amigos que a amavam e uma vida junto à UFSM, campus de Palmeira das Missões, onde cursava Enfermagem. Ainda não se sabe o motivo do incêndio.

Dias depois foi encontrado perto de um rio em Frederico Westphalen enterrado, o corpo de um menino, dentro de um saco plástico. Este, chamado Bernardo Boldrini, tinha 11 anos. O que aconteceu? Pois bem... dói dizer que membros da própria família fizeram isso com ele (é o que tudo indica). Conforme corre a investigação, os principais suspeitos são a madrasta Grazieli, uma amiga dela, e o pai de Bernardo, Leandro Boldrini. Bernardo só foi encontrado no dia 14, mas segundo a perícia, já estaria morto desde o dia 4 de abril, após uma suposta ‘compra de TV’ realizada pela madrasta e o menino.

Este menino não teve chance alguma de viver. Grazieli teria aplicado nele uma injeção letal, o que ocasionou a sua morte. Após, ela e sua amiga teriam o enterrado. Porém, como Grazieli queria que o corpo se decompusesse mais rápido, comprou soda cáustica em escamas e jogou sobre ele. A soda, para quem não sabe, tem efeito corrosivo, portanto, é possível entender o que aconteceu.

Me dá nojo pensar em algo assim! Me diga que tipo de ser humano faz isso com outro? Ainda mais com uma criança! Minha ideia para o final de tudo isso não é prisão. Gostaria que essas três pessoas fossem colocadas no meio da rua, em Três Passos mesmo, onde residiam, para que a comunidade tomasse providências, porque prisão para uns é muito pouco, mas tenho certeza que isso nunca aconteceria, o que é uma pena.

Prosseguindo, na segunda-feira da semana passada, dia 21 de abril, mais um jovem foi morto, o dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, popular DG. Ele que era integrante do programa Esquenta, apresentado por Regina Casé, que vai ao ar todos os domingos na rede Globo. O que aconteceu? Ele levou um tiro... e depois caiu de uma grande altura. Quantas vidas estão sendo perdidas... NÃO! Não estão sendo perdidas... e sim, tiradas! Muitos não têm nem a possibilidade de se defender e acabam por terminar suas jornadas de formas que nunca foram imaginadas. Pais tendo que enterrar seus filhos... a ordem está sendo invertida. É tão difícil aceitar quando alguém parte para o outro nível da vida. Independente de quem for...

Nesta semana também foi veiculada a notícia da morte do irmão do MC Gui, muito famoso no mundo do funk. Gustavo partiu de uma hora para outra, sem que fosse possível fazer nada para ajudá-lo, teve uma morte súbita.

Outros partem, porém descansam... Passam por tantas dificuldades e provações na vida, que a morte se torna um descanso para o corpo e a mente, que tanto batalhou... Independente de como for... sempre é difícil perder uma pessoa. A dor toma conta e a saudade se faz presente em todos os dias de nossa vida, mostrando que todos têm sua importância na sociedade.

É por isso que não entendo o porquê de tantas vidas sendo tiradas de maneiras tão cruéis... Isso é desumano! Todos os dias notícias são veiculadas nas mídias, e o que a gente faz? Fica chocado num primeiro momento, e depois? Ah... depois passa, porque não aconteceu com a gente!

Pois é... engana-se quem acha que isso nunca chegará a sua família... está cada dia mais perto. Só nós que não percebemos que não é apenas em grandes capitais em que acontece este tipo de coisa... #sejamaishumano

 

TEXTO PUBLICADO NO JORNAL ABCNOTÍCIAS DE 02 DE MAIO DE 2014