logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Tamagotchi, por Eloy Scheibe

 

Jeffe e Eloy

Quando vejo uma pessoa, coisa, objeto, seja o que for, me vem à lembrança algo bem diferente. Imagino que todas as pessoas sejam assim. Quando viajo e estou num lugar que não conheço as pessoas, boa parte das que vejo me remetem à lembrança de outras pessoas pelas semelhanças que atribuo. Assim também sou com objetos. Acho que é uma mania. Minha esposa Isolde também é assim.

Certa oportunidade estávamos no Aeroporto Internacional Viracopos em Campinas - São Paulo e a Isolde falou: - repara que praticamente todas as pessoas que estão na sala de embarque estão com um tamagotchi na mão. Lembram do bichinho virtual com que as crianças brincavam lá pelos anos 90? Concordei. Quase todas as pessoas estavam com o telefone celular na mão. Se é que ainda dá para chamar de telefone este aparelho que faz entre tantas coisas, como: acessar a internet, enviar e-mails, jogar, enviar torpedos, usar GPS, tirar fotos, editar textos, baixar aplicativos, ouvir rádio, enfim, até fazer ligações telefônicas. Sinceramente, reparamos que assemelhava ao brinquedo das crianças na época. Ninguém conversava com outra pessoa. Cada um para si. Rimos vendo várias pessoas, inclusive, empolgadas com os contatos.

Evidentemente que é uma maravilha poder usufruir da tecnologia e ficar conectado com a família, amigos, trabalho, entretenimento… Verdade, é fantástico que a tecnologia permita não perder o contato nem por um instante. Mas tudo tem um senão. As pessoas ao dispensar o contato pessoal se afastam umas das outras. Ao menos lá em casa, eu e a Isolde, embora  usarmos os contatos pelos meios sociais, marcamos dia e hora para falarmos com nossas filhas para ouvir a voz delas. Creiam, só pela voz já sabemos se estão preocupadas, tristes, alegres ou felizes. Não dispensamos ouvir a voz de nossas filhas, pois é naquele momento que sentimos como estão.

Com isso quero dizer, que se não priorizarmos o contato pessoal e direto com as pessoas, estaremos criando um ambiente frio e sombrio para o futuro, com pessoas que não se relacionam pessoalmente, apenas pelos meios sociais. Frio, porque não haverá um sentimento de amor e afeição entre as pessoas, e sombrio porque vai levar ao afastamento das pessoas umas das outras.

Vamos trabalhar e nos comunicar através de aparelhos. Será que é assim que queremos viver no futuro? Enfim, usar o bom senso creio ser a melhor medida. Nem tanto, nem tão pouco. Sentir a reação das pessoas, olho no olho, creio ser melhor que nos apaixonarmos pelo tamagotchi do momento.