logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Shakira e Ivete Sangalo estão confirmadas em show de encerramento da Copa

ivete

A Fifa confirmou a presença da colombiana Shakira na festa de encerramento da Copa do Mundo no Maracanã, no dia 13 de julho, data da final da competição.

Além de Shakira, a festa contará com Carlos Santana, Ivete Sangalo, Carlinhos Brown e Wyclef Jean. A atração musical ainda terá uma apresentação da GRES Acadêmicos do Grande Rio, que terminou o Carnaval de 2014 na sexta colocação. Essa é considerada uma "homenagem" da Fifa para a cidade-sede da decisão.

Estrela da Copa de 2010, com a música Waka Waka, Shakira está na trilha sonora do Mundial de 2014 com a música Lalala, que será cantada na festa. Apesar de já estar em sua terceira festa de encerramento em Copas, ela comentou a alegria de estar no evento.

Além da emoção de participar da festa de encerramento, Shakira ainda poderá ter um gostinho especial na decisão. Colombiana, a cantora poderá ver sua seleção em uma final pela primeira vez na história.

O espetáculo musical com os artistas internacionais terá início com Santana, Wyclef e Alexandre Pires que estarão no palco às 15h20, 40 minutos antes do começo do jogo decisivo. Os três farão apresentação com a música "Dar um jeito".

A sequência terá a entrada da colombiana Shakira ao lado de Carlinhos Brown. Por fim, Ivete Sangalo encerrará a apresentação com um pot-pourri de canções nacionais famosas. Alexandre Pires retornará ao palco com a cantora brasileira.

O cantor brasileiro Carlinhos Brown, que criou a caxirola, instrumento musical criado para a Copa, mas que foi proibido nos estádios, também comentou sobre a chance de encerrar o Mundial brasileiro.

Outra atração internacional confirmada, o rapper Wyclef Jean falou em realização de sonho a festa de encerramento. "A excelência é algo pelo qual todos ansiamos nesta vida. É algo com que, no fundo, todos sonhamos. Poder me apresentar na cerimônia de encerramento da Copa do Mundo da Fifa, com todos esses grandes artistas, me remete aos primeiros anos da minha infância em Croix-des-Bouquets, Haiti, quando o simples ato de chutar uma bola de futebol nas ruas do meu vilarejo era um privilégio e uma honra. Para mim, isso simboliza o direito de um menino de sonhar e perceber que a excelência não pode ser alcançada quando não há desejo de realizar esse sonho", falou o artista.

Fonte: UOL