logo fm91 logo 1500am whats-radio9

SAÚDE & BEM-ESTAR - TPM: conheça os culpados pela tensão e evite problemas no relacionamento

Ansiedade, dor de cabeça, inchaço, depressão, irritabilidade, instabilidade emocional, dor nas mamas, retenção de líquidos, cólica, ganho de peso, insônia e fadiga. Você já teve algum (ou vários) destes sintomas dias antes da menstruação? Segundo a ginecologista Técia de Oliveira Maranhão, membro da Comissão de Ginecologia Endócrina da Febrasgo (Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia), 95% das mulheres no mundo têm sintomas pré-menstruais.

Apresentar os sintomas não significa que a mulher sofre de TPM (tensão pré-menstrual). Para que a TPM seja diagnosticada é preciso que a mulher apresente alguns dos sintomas em três ciclos seguidos, não necessariamente os mesmos incômodos.

Segundo a médica, a TPM pode se apresentar nas formas moderada e grave, de acordo com a intensidade dos sintomas que interferem no dia a dia da mulher. Ela acrescenta que este conjunto de sintomas físicos e emocionais, conhecido como TPM, costuma aparecer de sete a 10 dias antes da menstruação e geralmente desaparece, “como num passe de mágica”, quando o ciclo se inicia.

A endocrinologista Amanda Athayde, diretora do departamento de Endocrinologia Feminina da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia), explica que a queda abrupta dos níveis hormonais, especialmente estrógeno e progesterona, comandam as reações e sentimentos da mulher, mas “não dá para colocar somente a culpa nos hormônios”.

Fatores externos também intensificam a TPM, como estresse, falta de atividade física, excesso de peso e problemas pessoais. Alguns estudos inclusive associam o quadro a fatores genéticos.

A ginecologista Aricia Giribela, da Sogesp (Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo), lembra que as mudanças hormonais típicas do período menstrual também interferem no sistema nervoso central, alterando os níveis de endorfina e serotonina — hormônios ligados ao bem-estar e prazer.

A TPM atinge a mulher de formas e em fases diferentes da vida, por isso cada uma apresenta um nível de tensão. O pico destas alterações acontece após os 25 anos.

A endocrinologista acrescenta que mulheres perto da menopausa tendem a ter piora da TPM, já que “nesta faixa etária há uma queda do nível de serotonina”. Com a redução do hormônio do prazer, fica fácil entender porque o chocolate faz tão bem para a tensão pré-menstrual.

Como ele aumenta a produção de serotonina, promove sensação de bem-estar no organismo. Apesar de funcionar quase que como uma medicação, o chocolate não é indicado para curar a TPM. Como neste período a mulher pode exagerar na quantidade, o alimento é rico em gorduras e engorda.

TPM sem limites

Durante a TPM, a mulher pode passar da plena felicidade para o mau humor em uma fração de segundos. Quando esta mudança de comportamento começa a afetar seu dia a dia, a convivência com os colegas de trabalho ou o relacionamento com o parceiro e familiares, é hora de procurar ajuda profissional.

A boa notícia, principalmente para os maridos e namorados, é que a TPM tem tratamento. As especialistas ouvidas pelo R7 afirmam que a solução vai desde a prática regular de atividade física, uso de pílula anticoncepcional e acupuntura até terapia e prescrição de antidepressivos.

A médica da Febrasgo acrescenta que alimentação balanceada também ajuda a aliviar a tensão pré-menstrual.

O excesso de sal, gorduras e carboidratos pode piorar a retenção de líquidos e promover ganho de peso, por isso devem ser evitados não só neste período como ao longo da vida. A orientação é sempre priorizar uma alimentação rica em fibras.

Após seguir todas as recomendações médicas, a endocrinologista garante que o quadro tende a amenizar e o marido, com certeza, vai agradecer.

O marido é o principal testemunho para saber se a TPM realmente melhorou.

Fonte: Fabiana Grillo / R7 - Saúde.