logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Agert e Sindirádio promoveram debate entre candidatos ao Governo do Estado

1

Candidatos ao governo do Rio Grande do Sul participaram do Debate Eleições 2014, promovido pela Associação Gaúcha das Emissoras de Rádio e TV (Agert) e pelo Sindicato das Empresas de Rádio e TV do Estado (SindiRádio) que ocorreu na manhã de ontem, segunda-feira, 28 de julho, em Porto Alegre. 

A quase dois meses das eleições, o terceiro debate no estado contou com as presenças de Ana Amélia Lemos (PP), Edison Estivalete Bilhalva (PRTB), Humberto Carvalho (PCB) José Ivo Sartori (PMDB), Roberto Robaina (PSol), Tarso Genro (PT) e Vieira da Cunha (PDT).

O candidato João Carlos Rodrigues (PMN) havia confirmado presença, mas não compareceu ao evento. Para o presidente do SindiRádio, Ary Cauduro dos Santos, o evento priorizou democratizar o debate levando as propostas dos candidatos a todas as rádios do estado. A inovação deste debate foram as perguntas dos ouvintes do interior sobre diversos temas.

Roberto Melão, presidente da Agert, fez duas considerações sobre a importância do debate com os candidatos ao governo estadual. A inovação das perguntas da população e as propostas sobre a dívida do estado com a união que será o grande tema que vai avaliar quem tem condições de assumir o Palácio Piratini no ano que vem.

A senadora Ana Amélia Lemos (PP), primeira colocada na mais recente pesquisa de intenção de voto falou acerca de uma alternativa para a solução da dívida com a união.

O governador Tarso Genro (PT), candidato à reeleição diz é que possível obter crescimento econômico com o pagamento da dívida. Ele enfatiza que em seus três anos e meio de governo o estado teve melhorias na economia e na renda.

O deputado federal Vieira da Cunha (PDT) diz que a solução para a dívida do estado passará por um conjunto de medidas. Em entrevista para nossa reportagem ele enumera algumas medidas e confirma que o aumento de receita não será com mais impostos.

O ex-prefeito de Caxias do Sul, José Ivo Sartori (PMDB) diz que a renegociação da dívida do estado é paliativa. A solução passa pela diminuição dos juros. Sendo eleito governador, em sua gestão cortará despesas inúteis.

Fonte: AGERT

2

Confira alguns destaques do debate: