logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Porque “Eu Sou do Sul”..., por Cassi Dill

textossite

Nesta semana mais que buenacha, não tem como não falar sobre o nosso Rio Grande do Sul, tchê!! A cultura gaúcha é uma das mais marcantes do Brasil, é facilmente reconhecida, seja pelas suas vestimentas, modo de falar ou de agir.

Como diz a música dos Serranos, Eu “Sou do Sul”:

“Eu sou do sul, sou do sul;

É só olhar pra ver que eu sou do sul, sou do sul;

A minha terra tem um céu azul, céu azul;

É só olhar e ver”.

O gaúcho surgiu da miscigenação entre índios, espanhóis e portugueses, que viviam livres cuidando do gado no pampa gaúcho.

Por estar ligado ao campo, tornou-se hábil cavaleiro, manejador de laço e boleadeira. O gaúcho era livre, sem patrão e sem lei.

Fonte: www.caminhodasmissoes.com.br.

Ser gaúcho é ter as cores da bandeira, verde, vermelha e amarela como estampa do coração; é falar peleia, abichornado, alambrado, bagual, boia, buenacha...; é saber dançar vanerão, chamamé, milonga, bugio; é tomar chimarrão com um sol de 30ºC; acreditar que churrasco é a melhor comida do mundo; aguentar temperaturas negativas; usar o pala para ir olhar o rebanho em uma manhã branca de geada.

Ser gaúcho é acreditar que o Rio Grande do Sul é um País!

Nossas músicas falam sobre a nossa terra e o nosso povo:

“Quem quiser saber quem sou; Olha para o céu azul; E grita junto comigo;

Viva o Rio Grande do Sul”.  

‘Querência Amada’, do saudoso Teixerinha, um dos hinos da cultura do sul do Brasil, demonstra o quão trabalhador e batalhador o gaúcho é. Não tem trabalho pesado. É acostumado com a lida do campo.

Sua fama de trabalhador se espalhou por todo o País. Nas regiões centro-oeste e norte do Brasil, o gaúcho é muito valorizado pela sua bravura e vontade de trabalhar, demonstrando o quão valente e herói é essa figura.

Já dizia Leonardo, através da música Céu, Sol, Sul, Terra e Cor:

“É o meu Rio Grande do Sul; Céu, sol, sul, terra e cor!

Onde tudo o que se  planta cresce;

E o que mais floresce é o amor”.

Na Semana Farroupilha é que o amor floresce, as tradições voltam a ter espaço. Há aqueles que são gaúchos só nessas épocas, mas ainda assim, são gaúchos de coração. Há também aqueles que se pilcham durante todo o ano, participam de rodeios, CTGs, piquetes e entidades voltadas à cultura gauchesca.

Cada um de sua forma, com sua demonstração de amor ao Rio Grande do Sul, o fato é que ser gaúcho é um orgulho, é uma pátria fortalecida, um chão abençoado.

Traduz-se tudo no refrão da música de Cristiano Quevedo, Gaúcho de Coração:

“Sou gaúcho de rédeas na mão,

Sou gaúcho ponteando um violão.

Neste mundo de Deus,

Sempre fiel ao meu chão.

Sou gaúcho de laço e canção,

Sou gaúcho peleia e paixão.

Neste mundo que é meu,

Gaúcho é meu coração”.

Mas bah tchê, ser gaúcho é buenacho!

Publicado no Jornal ABCNotícias na edição do dia 19.9.2014