logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Poder público e órgãos competentes tomam medidas preventivas

SAM 0774

Em todo Território Nacional as medidas tomadas pelas autoridades brasileiras de combate contra incêndios em danceterias, bares e outros locais públicos somente foram realizadas após o lamentável acidente ocorrido na Boate Kiss, situada na cidade de Santa Maria, no dia 27 de janeiro, quando morreram até o momento 239 pessoas.

Se não fosse o acontecido, muitas casas noturnas continuariam funcionando sem nenhuma fiscalização, sequer alvará de funcionamento. Após o incêndio, prefeituras e órgãos competentes começaram a tomar medidas preventivas para que um fato de tal proporção não aconteça novamente.

No estado do Rio Grande do Sul muitas das casas noturnas que funcionam estão irregulares, sem licença para funcionar, sem alvará, nem mesmo o PPCI – Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndio que é concedido pelo Corpo de Bombeiros.

Na quarta-feira, 6 de fevereiro, em uma reunião no Ministério Público de Carazinho, a promotora Clarissa Machado deu prazo para que os municípios iniciem um Plano de Ação para tomar as medidas necessárias para fornecer segurança à todos que frequentam locais públicos, como danceterias, bares, escolas, festas de comunidades, entre outras.

Na reunião estiveram presentes várias autoridades de Chapada, entre elas: prefeito municipal Carlos Catto, vereadores Marcos Ott, Gilmar Castanho, Ledi Baruffi, Américo Ferreira, Maico Hermes e Paulo Campana e a assessora jurídica da Câmara de Vereadores Sandra de Oliveira. Também esteve presente o representante da Rádio Simpatia Tiago Ledur.

A partir desta data, todos os órgãos competentes foram ativados e as medidas deveriam ser iniciadas. Em conversa com o prefeito municipal Carlos Catto, o mesmo disse que os municípios devem montar um Plano de Ação e apresentar à promotoria do Ministério Publico, e este deve aprovar o mesmo.

“A prefeitura terá grande responsabilidade neste plano, sendo que terá de fiscalizar os estabelecimentos e buscar junto ao Corpo de Bombeiros os alvarás após aprovação. No município já estamos tomando algumas providencias de antemão, o Centro Cultural já está interditado, é necessário fazer algumas reformas, construir portas de emergência”, falou o prefeito municipal Carlos.

Em Chapada algumas escolas também precisarão de reformas, na EMEF Érico Veríssimo já foi iniciada a construção de uma saída de emergência. Já o Ginásio Municipal 3 de Junho sofrerá algumas mudanças para se adequar às normas exigidas. Os pavilhões e igrejas também serão fiscalizados pela Prefeitura Municipal.

 

FONTE: REDAÇÃO JORNAL DE CHAPADA