logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Reciclar o modo de ser, por Eloy Milton Scheibe

Jeffe e Eloy

Mais uma vez a data em que se comemora o Natal está muito próxima. Não é preciso dizer que é muito importante, não só para o cristianismo, como para o próprio comércio que explora a oportunidade para vender mais.

Mas no Natal, por conta do nascimento de Cristo, temos o hábito de começar uma retrospectiva mental que só termina depois da data da Confraternização Universal, ou seja, o Ano Novo, quando refletimos sobre nossas ações no ano que está findando. Certamente a corrida desenfreada que enfrentamos no dia a dia vai entrar nesta análise. Já é certo que vamos fazer a comparação se valeu a pena ou não e aí está um ponto importante: O que é valer a pena? É ter engordado a conta bancária? Ter feito uma viagem? Ter convivido mais com a família? Com os amigos? Ter trabalhado menos e aproveitado mais a vida? Cada pessoa tem o seu modo de ser e os seus valores, isso é notório, mas a grande pergunta que não quer calar é: o que é importante para cada um de nós?

Será o “ter” ou será o “ser”? Não tenho dúvidas de que é o “ser”. Sim, ser gente boa no verdadeiro sentido da palavra valorizando as relações entre pessoas, o convívio, desfrutar do bem-estar com colegas, amigos e familiares sem impor apenas a própria opinião. Saber ouvir e falar ponderadamente. Estas são ações que rendem boas relações entre as pessoas e gerarão dividendos futuros. Realmente é importante aproveitar a vida, usufruindo com responsabilidade as coisas boas que Deus nos proporciona e não apenas perseguir a ganância adotando o dinheiro como melhor amigo. Aliás, depois da busca incansável por dinheiro será que adiantará ser um dos mais ricos do cemitério?

Penso que nossa passagem terrena será bem mais proveitosa se soubermos valorizar o relacionamento e o bom convívio entre nós humanos, aí sim poderemos dizer que nossa passagem pela terra terá efeito positivo e produtivo e não apenas viver para o “ter”, que, na minha opinião é a proposta de vida mais egoísta que conheço. 

Publicado no ABCNotícias, do dia 17/12/2014.