logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Meta da Campanha do Agasalho 2013 é arrecadar 1,5 milhão de donativos

 campagasalho

O programa de rádio Mateando com o Rio Grande desta segunda-feira (27), teve como entrevistado, o secretário-chefe da Casa Militar e coordenador Estadual da Defesa Civil, coronel Oscar Luis Moiano, que falou sobre as ações da Campanha do Agasalho. Moiano abordou a questão social da campanha, a rede formada em parceria com os municípios e quais os principais pontos de arrecadação do Estado. A meta, neste ano, é atingir 1,5 milhão de donativos

Conforme o secretário, a Campanha do Agasalho é uma ação social. "Obviamente ela não tem a pretensão de resolver os problemas da população nessa linha, porém é complementar, conjugada a todos os programas sociais que nós temos no Estado", ressalta, observando que existe ainda uma parcela da população que necessita deste tipo de ajuda e que a Campanha do Agasalho preenche esta lacuna.

A distribuição dos donativos, conforme Moiano, é adequada, e nunca foi registrado pelo Estado o desvio de donativos. "A Defesa Civil é encarregada de campanhas humanitárias, incluindo a do agasalho. No episódio da Região Serrana do Rio de Janeiro, em 2011, quando o RS foi o Estado que mais arrecadou, enviamos 22 carretas e dois aviões com donativos, e felizmente nunca recebemos denuncia de desvio", disse Moiano.

Arrecadação

O secretário explicou que a experiência identifica as regiões que mais arrecadam e as que mais necessitam de donativos. "Nós sabemos que as regiões da Serra e Metropolitana são aquelas que arrecadam mais do que a sua necessidade. Nós fazemos uma equalização destes donativos para regiões como Campanha e Fronteira Oeste, onde há maior necessidade".

O principal ponto de arrecadação no Estado é a Central de Doações da Defesa Civil, localizada no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Avenida Borges de Medeiros, 1501 - Centro de Porto Alegre). "No interior do Estado, temos 11 regionais da Defesa Civil, instaladas nos principais municípios e que realizam um trabalho conjunto com as prefeituras. Aqui em Porto Alegre, nós temos pontos de arrecadação nos órgãos públicos, e em grandes redes comerciais", afirma.

A principal necessidade é a doação de roupas quentes, de lã, cobertores, colchões e calçados, embora todo tipo de donativo seja recebido. "Nós fazemos um apelo para que as pessoas busquem aquelas roupas que não utilizam mais e procurem um dos postos de arrecadação para fazer a doação. O importante é que as pessoas doem roupas que elas mesmas seriam capazes de usar", ressalta Moiano.

 

FONTE:

Texto: Daiane Roldão

Edição: Redação Secom (51) 3210.4305