logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Vacinação contra a pólio segue até esta sexta-feira

poliomielite

A Campanha de Vacinação contra a Poliomielite se encerra nesta sexta-feira (21). Desde o dia 8 deste mês, mais de 465 mil crianças já receberam as gotinhas que protegem da doença chamada de pólio ou paralisia infantil. Isso representa, no momento, uma cobertura de 77,45%. A meta até o término da ação é alcançar 95% do público-alvo, ou 571 mil crianças.

 

Doses aplicadas no RS por faixa etária e porcentagem de cobertura:*

6 meses a menores de 5 anos: 57.714 (83,66%)

1 ano: 97.182 (70,57%)

2 anos: 101.787 (81,37%)

3 anos: 102.739 (78,25%)

4 anos: 106.139 (76,89%)

TOTAL : 465.561 (77,45%)

*Fonte: Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (às 9h30 de 18/06/2013)

 

Nesta edição da campanha, as crianças menores de 6 meses não estão incluídas, pois já são imunizadas com a vacina injetável da poliomielite, que integra o calendário básico infantil. Esse tipo deve ser dada aos 2 e 4 meses, completadas com mais duas doses orais aos 6 e 15 meses. Por isso, é importante não se esquecer de levar a caderneta de vacinação das crianças para que o profissional de saúde possa avaliar a situação vacinal da criança.

Não existe tratamento contra a pólio, e somente a prevenção, por meio da vacina, garante a imunidade. O Brasil está livre da poliomielite há mais de 20 anos. O último caso no país foi registrado em 1989, na Paraíba. Em 1994, o Brasil recebeu da Organização Mundial da Saúde (OMS) o certificado de eliminação da doença. Mas como o vírus ainda circula em países como Afeganistão, Nigéria e Paquistão, a vacinação é o único mecanismo capaz de garantir que o vírus não volte a ingressar no país.


A doença

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa viral aguda que atinge, principalmente, crianças de até 5 anos. É transmitida pelo poliovírus, que entra pela boca. Ele é carregado pelas fezes e também em gotículas expelidas durante a fala, tosse ou espirro da pessoa contaminada. Falta de higiene e de saneamento na moradia, além da concentração de muitas crianças em um mesmo local, favorecem a transmissão.

O período de incubação (tempo que demora entre o contágio e o desenvolvimento da doença) é, geralmente, de 7 a 12 dias, podendo variar de 2 a 30 dias. A transmissão também pode ocorrer durante o período de incubação. O poliovírus se desenvolve na garganta ou nos intestinos e, a partir daí, espalha-se pela corrente sanguínea, ataca o sistema nervoso e paralisa os músculos das pernas.

 

TEXTO: ASSESSORIA SES/RS

FOTO: CAMILA DOMINGUES/PALÁCIO PIRATINI

EDIÇÃO: REDAÇÃO SECOM (51) 3210.4305