logo fm91 logo 1500am whats-radio9

Laudo compara fotos e aponta diferença nas marcas em jovem que relatou ataque com canivete no RS

SUASTICA

 

Um novo laudo divulgado nesta terça-feira (13) apontou que, entre a realização do exame de lesão corporal e o depoimento à polícia, mais riscos apareceram na barriga da jovem que relatou em 8 de outubro ter sido atacada e marcada à força com um caniveteem Porto Alegre. O inquérito sobre o caso foi encerrado pela Polícia Civil após o recebimento da conclusão do primeiro laudo, ainda no fim de outubro, quando ela foi indiciada por falsa comunicação de crime.

A pedido da polícia, o Instituto Geral de Perícias (IGP) comparou uma foto das marcas feita no dia 9 de outubro no Departamento Médico-Legal (DML) com outra tirada na 1ª Delegacia de Polícia no dia seguinte, por ocasião do depoimento.

O laudo indicou "incompatibilidade em número e disposição entre as escoriações em regiões específicas". De acordo com o documento, foi notado o "acréscimo de, pelo menos, 10 escoriações lineares feitas em momentos gráficos distintos". Essas novas marcas, identificadas no registro feito no dia 10, seriam, segundo o laudo, similares em aspecto, extensão e profundidade às marcas que aparecem na foto do dia 9.

O documento concluiu que "houve adição de traços lineares produzidos em momento posterior às lesões primeiramente captadas no Departamento Médico-Legal localizadas na região lateral esquerda do tronco".

As imagens do dia 10 de outubro foram feitas, segundo o laudo, na delegacia, na presença de três advogados que acompanhavam a jovem. Esse novo laudo será anexado àquele que concluiu a prática de automutilação ou lesão com consentimento da vítima.

FONTE: G1